Artigos

Criolipólise torna-se o padrão-ouro para a eliminação da gordura localizada

A eliminação da gordura localizada de forma não-invasiva e eficaz é o desejo de muitos pacientes, que permaneceu não satisfeito até pouco tempo. A alta procura por esse tipo de resultado levou ao desenvolvimento de diversas pesquisas até que, na Universidade de Harvard, foi desenvolvida a técnica da criolipólise, atualmente a mais procurada para a eliminação da gordura localizada sem cortes ou cirurgias. O tratamento basicamente promove uma destruição das células de gordura por meio da técnica do resfriamento controlado.

O Cool Tech, aparelho moderno e com certificação comprovada, baseia-se no princípio da criolipólise, que proporciona a diminuição do tecido adiposo pelo congelamento dos adipócitos. O aparelho é aplicado sobre a área que apresenta gordura localizada e exerce uma força de sucção. A região tracionada pela sucção é congelada durante cerca de uma hora, a uma temperatura aproximada de -5°C a -10°C. O tecido adiposo é mais sensível ao frio que os demais tecidos, portanto, a ação do aparelho é específica para os adipócitos, poupando a pele e músculos. A queda de temperatura cristaliza as células adiposas, que se decompõem e são eliminadas naturalmente pelo organismo via sistema linfático. O tratamento não requer utilização de anestesias, cortes ou agulhas. Normalmente, o processo é indolor, podendo ocorrer desconforto na área tratada devido ao tracionamento exercido pela máquina, com alguma vermelhidão, edema e alteração de sensibilidade que cessam em poucos dias. O paciente pode exercer suas atividades normais logo após o procedimento.

O tratamento apresenta resultados após cerca de três meses, com redução de até 25% da gordura da zona tratada. São indicadas de 1 a 3 sessões com intervalos mínimos de 2 meses. As sessões duram cerca de uma hora, sendo que cada ponteira abrange uma região de 20 cm2 e pode-se empregar mais de uma ponteira simultaneamente. Existem ponteiras que se adaptam a diversas regiões do corpo, sendo as mais comumente tratadas o abdome e o dorso (“pneus”).